Lembrancinhas em geral clique e confira!!!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Plantas que curam

Postado Por educaipo Postado As 08:58 Com 1 Comentario
Aroeira
A aroeira é um arbusto com folhas compostas e frutos globulosos, avermelhados e pequenos.
As folhas são dotadas de propriedades balsâmicas, pelo que se usam para curar úlceras. Emprega-se empiricamente, em fomentações, para combater afecções reumáticas e tumores linfáticos.
A aroeira é boa para combater as febres, o reumatismo e a sífilis.
Os homeopatas aconselham essa planta nos casos de atonia muscular, distensão dos tendões, artrite, reumatismo, fraqueza dos órgãos digestivos e tumores.
Devido aos seus efeitos adstringentes, as cascas são contra a diarréia e as hemoptises. Usam-se 100 gramas para 1 litro de água. Tomam-se 3 a 4 colheres das de sopa ao dia.
Aplica-se também contra a ciática, a gota e o reumatismo.
Prepara-se um cozimento na proporção de 25 gramas de cascas para 1 litro de água. Toma-se diariamente um banho de 15 minutos, tão quente como se possa suportar.

Agrião
O agrião é uma planta herbácea. Emite ramos de até 50 ou 60 centímetros de comprimento. A haste ramosa, espessa, suculenta e rasteira emite numerosas raízes adventícias.
É uma planta conhecida, boa para saladas. Deve-se usá-la crua porque, quando cozida, suas propriedades medicinais se perdem.
O agrião contém um óleo essencial, iodo, ferro, fosfato e alguns sais.
Seu uso prolongado tem efeito depurador do sangue e antiescorbútico.
Emprega-se, outrossim, como ótimo remédio contra a atonia dos órgãos distintos; como estimulante no escorbuto, escrofulose e raquitismo; como diurético, nas enfermidades das vias urinárias e nos cálculos; como expectorante, nos catarros pulmonares crônicos; e como desopilante do fígado. O agrião convém aos diabéticos, porque encerra poucos princípios amiláceos.
Toma-se, diariamente, 3 a 4 colheres das de sopa de suco de agrião, puro ou diluído em água.
Aplicado em cataplasmas (pasta feita com as folhas) sobre úlceras, apressa sua cicatrização.
Resultados de várias pesquisas atribuem-se ao agrião propriedades antídotas aos efeitos tóxicos da nicotina.
20
O suco da planta, misturado com mel, dá um bom xarope para combater bronquite, tosse e tuberculose pulmonar.
As mulheres grávidas não devem comer agrião em quantidade pois, em virtude de sua ação sobre a matriz, pode provocar aborto.
Não se deve usar agrião que cresce junto às águas paradas, visto que ao mesmo podem se prender insetos aquáticos, portadores do bacilo de Eberth, causador do tifo, ou de larvas de vermes.
Lavando-se bem o agrião e espremendo-se bastante suco de limão em cima, pode-se comê-lo com bem menos perigo.

Boldo
O boldo é uma planta originária do Chile, encontrando-se também nos Andes argentinos. O caule aéreo, lenhoso e perene, alcança alguns metros de altura.
Possui importantes propriedades curativas, as quais são eficazes no tratamento das enfermidades hepáticas e biliares. Empregam-se as folhas como específico para fazer desaparecer os cálculos hepáticos
(pedras do fígado) e as anormalidades das vias biliares.
No Chile, o boldo é considerado como aperitivo, digestivo, carminativo e diaforético. Combate a má digestão, fortifica o estômago e os nervos. Combate a insônia, limpa as manchas da pele, especialmente as do rosto causadas por distúrbios do fígado.
Usa-se o cozimento de boldo externamente para banhos e pedilúvios no combate a reumatismo, hidropisia, afecções da pele, sífilis, blenorragia e outras enfermidades semelhantes.
Emprega-se o suco das folhas e dos talos tenros, em gotas,
nos casos de fortes dores de ouvido.

Carqueja
Emprega-se, em forma de chá, para combater anemia, cálculos biliares, diarréias, enfermidades da bexiga, do fígado e dos rins, má digestão, má circulação do sangue, icterícia e inflamação das vias urinárias e também no controle da diabete.
A carqueja também dá bons resultados em angina e inflamação da garganta, casos em que se faz gargarejos com uma decocção da planta.




Girassol
Arbusto de até 2 metros de altura, o girassol tem caule verde e flores amarelas, dispostas em redor de um disco grande, cuja face superior é toda recoberta de sementes oleaginosas.
É uma planta muito útil. As sementes dão farinha para pão.
Quando as sementes são torradas, podem ser usadas como substituto do café. Comprimidas, dão um óleo que se pode empregar para fins culinários e em substituição ao óleo de linhaça, para preparar vernizes e tintas.
Tanto as flores quanto as folhas podem ser usadas topicamente, amassadas, em contusões, esfoladuras, golpes, feridas e úlceras.


Hortelã
A hortelã é uma planta de 30 a 60 centímetros, ligeiramente aveludada. Haste ereta, quadrangular, avermelhada e ramosa.
Na hortelã estão reunidas, em elevado grau, as propriedades antiespasmódicas, carminativas, estomáquicas, estimulantes e tônicas.
Prescreve-se essa hortaliça como remédio na altura das vias digestivas, flatulências, timpanite (especialmente a de causa nervosa), cálculos biliares, icterícia, palpitações, tremedeiras, vômitos (por nervosidade), cólicas uterinas e dismenorréia.
É um medicamento eficaz contra os catarros das mucosas e favorece a expectoração.
Aplica-se também o sumo, embebido em algodão, para acalmar as dores de dente.
Às crianças que têm vermes intestinais, administra-se um chá de hortelã, para libertá-las dos parasitas que as atormentam.
As mães que amamentam devem tomar esse chá, para aumentar a secreção de leite.

Jurubeba
A jurubeba é um arbusto de caule e ramos espinhosos, flores de cor lilás. O fruto é uma baga esférica, amarelada, presa a um pedúnculo comprido.
É bom alterante, diurético, desobstruente tônico.
Emprega-se, com bons resultados, para combater as icterícias e as inflamações do baço e contra o catarro da bexiga — suco dos frutos.
Externamente, empregam-se as folhas machucadas sobre as úlceras.
A raiz é igualmente de grande valor nas dispepsias atônicas e na diabete. As folhas representam um bom remédio para as febres intermitentes.

Mamona
A mamona é um arbusto frondoso, muito comum nas zonas litorâneas. Dá nos pântanos salobros e salgados. É uma planta cujas raízes adventícias arqueadas formam verdadeiros castiçais, firmando-lhe o tronco e garantindo-lhe o equilíbrio necessário para resistir ao ímpeto das ondas da maré alta. Essas raízes nascem no tronco aéreo, crescem inicialmente em direção horizontal, mas curvam-se depois para baixo e penetram no solo.
As folhas são simples e o fruto é uma baga.
A casca é usada contra diarréias, disenterias, hemorróidas e leucorréias.
É sempre bom lembrar que as plantas apenas ajudam a combater algumas doenças, em casos graves e em caso de dúvidas deve-se procurar sempre um especialista.

Fonte texto, escola ativa v3.Imagens: girassol – ultradownloads via imagens google.com,Hortelã – arquivo pessoal, Mamona e jurubeba - wikipédia demais fotos: wikipédia


Digite seu e-mail abaixo e receba nossas atualizações grátis!!

Digite seu e-mail abaixo:


Delivered by FeedBurner

1 comentários :

  1. A medicina natural ajuda e muito,eu mesmo ja utilizei,e tive bons resultados, mas na minha opinião não deve ser usada como unica forma de tratamento, como vc disse é sempre bom procurar um especialista, principalmente casos mais graves.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário!!! Tenha um bom dia!

Conheça nossa loja Virtual, ARTESANATOBISCUIT Clique e confira!!!

Conheça nossa loja Virtual, ARTESANATOBISCUIT Clique e confira!!!
Artesanato em vidros, lembrancinhas, cha de bebe, aniversarios, e muito mais!!!

O melhor da decoração para festas esta aqui!!!